21 Julho 2011, 18:07

Novos foguetes russos levarão cargo à lua

Novos foguetes russos levarão cargo à lua

A Rússia ao mesmo tempo está elaborando dois grandes projetos espaciais. São a pr

A Rússia ao mesmo tempo está elaborando dois grandes projetos espaciais . São a próxima geração de “Soiúz” e um sistema espacial radicalmente novo com um veículo do lançamento, “Rus-M”. A plataforma de lançamento será construída no Extremo Oriente. Em perspectiva são possíveis missões tripuladas à Lua.

A decisão de criar um novo sistema espacial de transporte industrial foi adotada em 2006. Já dentro de 20 anos a Rússia poderá explorar não só a órbita próxima da Terra, mas também a Lua e até Marte. Agora, construtores de foguetes russos projetam não apenas uma astronave pesada multifuncional de nova geração, de peso superior a 20 toneladas, mas também aparelhos leves para voar à ISS, - contou em entrevista à “Voz da Rússia”, o vice-chefe da Agência Espacial Federal, Alexander Lopátin.

"Neste momento veículos de lançamento “Soiúz-2” com caraterísticas melhoradas estão passando testes de vôo. Nestes foguetes empregam-se apenas equipamentos e sistemas russos, bem como sistemas de propulsão mais poderosos e um sistema de controle digital."

Quanto à astronave pesada, para ela vão construir um novo foguete. A Rússia já tem os “Zenites” de grande capacidade de carga. São eles é que servirão de protótipo para os foguetes “Rus-M”, - divulgou um colunista da revista “Notícias de Cosmonáutica", Igor Líssov.

"Precisamos de um novo foguete, uma vez que é presuposto a nova astronave ser muito mais pesada que o “Soiúz”. Isso significa que vai levar mais pessoas e mais cargo e vai se tornar mais confortável. Precisamos também dum novo complexo de lançamento, por isso vão construir o cosmódromo “Vostochny”. Não é nenhum problema fazer uma nave com um peso inicial de 12 ou 15 toneladas, por exemplo. Podemos também fazer um foguete para ela. Tanto mais que, na verdade, é só copiar o “Zenite”, recorrendo a soluções mais modernas."

A construção de “Vostochny” na região de Amur começará este verão. Ficará próximo ao cosmódromo “Svobódny” que foi retirado de operação em 2007. O local não foi escolhido por acaso. O novo conjunto do lançamento está localizado na mesma latitude que o “Baikonur”, que faz facil voar à ISS da Rússia e não do Cazaquistão. Assim o acesso independente da Federação Russa a todos os tipos de órbitas estará garantido, ressaltou o vice-chefe da Agência Espacial Federal, Igor Líssov.

"A Estação Espacial Internacional vai viver até 2020. Depois teremos de afundá-la porque vai se tornar obsoleta moralmente e fisicamente. E depois? Ou construirmos independentamente uma estação russa e voarmos mais 20 ou 30 anos ao redor da Terra a uma altitude de 400 km, ou antés deveriamos nos desafiar a fazer viagens interplanetárias pelo menos até a Lua. Uma base na Lua é um mínimo que garantirá o desenvolvimento da cosmonáutica."

O projeto duma astronave nova, que substituiria o “Soiúz” lendário, foi aprovado no ano passado. Os primeiros testes não tripulados são previstos para 2015, os tripulados - para 2018. E daqui a várias semanas, no Décimo Salão Internacional de Aviação e Espaço MAKS-2011, a comunidade internacional verá uma maqueta da astronave tripulada junto com um foguete, “Rus-M”.

  •  
    E recomendar em