22 Agosto 2011, 12:50

Símbolo da Nova Rússia

Símbolo da Nova Rússia

No dia 22 de agosto, a Rússia celebra o Dia da Bandeira Estatal. A tradicional tricolor possui uma história multissecular. Surgiu ainda no século XVII, porém permaneceu interdita durante a maior parte do século XX, ou seja, na época soviética.

No dia 22 de agosto, a Rússia celebra o Dia da Bandeira Estatal. A tradicional tricolor possui uma história multissecular. Surgiu ainda no século XVII, porém permaneceu interdita durante a maior parte do século XX, ou seja, na época soviética. Em 22 de agosto de 1991, a bandeira branco-azul-vermelha tornou-se um símbolo principal da Nova Rússia.

A Bandeira Estatal da Rússia é um pano composto de três listras horizontais de igual temanho: branca, azul e vermelha. Têm sido interpretadas em épocas diversas de formas diferentes, sendo todas essas interpretações umas versões apenas populares, enquanto que uma interpretação oficial jamais foi formulada. Uma explicação usual diz que a cor branca significa nobreza; a azul, fidelidade; e a vermelha, coragem. O aparecimento da bandeira tricolor entre os símbolos do Estado é comumente vinculado ao Governo do imperador Pedro I, conforme relatou Aleksei Makarkin, primeiro-vice-presidente do Centro de Tecnologias Políticas. E prosseguiu:

Penso que é uma parte da nossa História, por sinal relacionada a Pedro, o Grande, em cujo governo apareceram estas cores na Rússia e adquiriram caráter oficial. Esta bandeira evoca as reformas em larga escala realizadas por aquele imperador, as mudanças que fizeram da Rússia um dos países mais importantes da Europa. Mas somente em épocas posteriores é que aquela bandeira se situaria entre os elementos heráldicos para ser vista através do prisma histórico como uma bandeira popular, ou seja, bandeira a acompanhar os diversos acontecimentos e festas populares.

Depois da Revolução Bolchevista de 1917 e constituição da União Soviética, a tricolor foi banida para renascer somente em agosto de 1991. No dia 19 daquele mês, na véspera da conversão da União de Repúblicas Socialistas Soviéticas em União de Estados Soberanos, na qual suas partes orgânicas teriam recebido uma autonomia maior, um grupo de altos funcionários do Partido Comunista e das agências de aplicação da lei tentou tomar o poder no País. Criaram o Comitê de Estado para Aplicação do Estado de Exceção, o qual afastou do poder o presidente Mikhail Gorbatchiov e já se propunha destruir as forças democráticas que se amotinaram contra o golpe de Estado e se fortificaram no Palácio do Governo. Todavia, uma parte do Exército passou para o lado dos Democratas, assim impossibilitando o assalto preparado. Os membros daquele Comitê de Estado foram detidos, os Democratas estavam festejando a vitória e no dia 22 de agosto era içada sobre o Palácio do Governo a bandeira branco-azul-vermelha. Naquele dia, a tricolor passou a simbolizar a Democracia e a Liberdade, – crê Boris Makarenko, presidente da Diretoria do Centro de Tecnologias Políticas. E continua:

O dia não foi escolhido a esmo. Porque em 22 de agosto multidões de moscovitas carregaram em ruas da capital uma tricolor gigantesca como símbolo da vitória sobre o anticonstitucional Comitê de Estado e, falando em sentido mais lato, como símbolo da vitória sobre o regime comunista totalitário. Agrada-me registrar que o povo russo já se habituou a esta bandeira. Oitenta e cinco por cento dos Russos podem dizer a disposição exata das listras na Bandeira da Rússia, a qual já se lhes tornou familiar. A Bandeira é um símbolo da Nação, devendo se orgulhar dela toda pessoa que se reputa cidadão da Rússia.

O Dia da Bandeira Russa é comemorado oficialmente desde 1994, quando o primeiro presidente da Nova Rússia assinou o respetivo decreto. Segundo as últimas sondagens realizadas pelo Centro Nacional de Pesquisas da Opinão Pública, a Bandeira do Estado causa orgulho e admiração em 52 por cento da população. Isso prova que nos 20 anos decorridos desde o nascimento da Rússia Democrática uma grande parte dos antagonismos ideológicos foi eliminada. Sim, as pessoas se sentem, na realidade, cidadãos de um país novo e valorizam altamente os símbolos novos.

 

  •  
    E recomendar em