21 Abril 2013, 15:54

Putin vai responder a perguntas dos cidadãos

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, irá realizar, no dia 25 de abril, a tradicional sessão em direto pela TV e Internet na qual responderá a perguntas colocadas pelos cidadãos do país.

Veja as fotos da Linha Direita com Vladimir Puitn

Ao meio-dia deste domingo (21 de abril), foi iniciada a receção de perguntas para o chefe de Estado. Estas poderão ser feitas através de números de telefones especialmente disponibilizados, que irão funcionar até à conclusão da Linha Direta em 25 de abril. Trata-se da primeira sessão de perguntas e respostas desde o momento de retorno de Putin ao Kremlin após as eleições de 2012.

A tradição de o chefe de Estado responder ao vivo a perguntas dos cidadãos remonta a dezembro de 2001 e foi interrompida uma só vez, em 2012. Segundo explicou Dmitri Peskov, secretário de imprensa do presidente, na altura tinha sido decidido mudar a data a Linha Direta para uma altura menos fria do ano.

As perguntas ao presidente poderão ser feitas por todos quantos o desejarem. O presidente responderá ao vivo a partir do estúdio em Moscou, bem como através de videoconferências com várias cidades da Rússia. Para além do telefone, os cidadãos poderão também colocar perguntas por SMS. O programa intitulado Linha Direta com Vladimir Putin será transmitido a partir do meio-dia de 25 de abril, pelos canais de TV e radioemissoras mais importantes.

“O recurso principal do político Putin é a maioria social, ou seja, os seus apoiantes – diz o presidente do Instituto de Estratégia Nacional, Mikhail Remizov. – Por isso, para ele é importante comunicar-se com as pessoas precisamente neste formato.”

A ideia de retomar o formato de sessão de perguntas e respostas é completamente justificada, bem como a mudança da data para a primavera. No período de novembro e dezembro a agenda fica, geralmente, demasiado preenchida: a coletiva de imprensa, a mensagem presidencial à Assembleia Federal, entrevistas a canais de TV sobre resultados do ano, etc. Há toda a razão de separar no tempo essas formas de intercomunicação bastante complexas e árduas.

A próxima sessão será realizada na forma tradicional mas com “pequenas mudanças”, frisou o secretário de imprensa do presidente, Dmitri Peskov.

A próxima edição de perguntas e respostas é já a décima primeira. Estas tiveram lugar tanto em seus mandatos presidenciais anteriores como no período entre 2008 e 2012 quando encabeçava o governo russo. Habitualmente, as sessões televisivas duram cerca de 2,5 a 3 horas. Mas a última, a décima edição, em dezembro de 2011, bateu todos os recordes de duração, tendo-se prolongado por 4 horas e 26 minutos. O então primeiro-ministro deu respostas a 90 perguntas. Putin é ajudado por operadores e moderadores, que recebem chamadas telefônicas, as resumem e classificam por temas. No entanto, as perguntas que chegam via Internet são sempre escolhidas pessoalmente por Vladimir Putin.

Regra geral, são os temas do dia-a-dia que saem para primeiro plano, ou seja, tudo aquilo que interessa e preocupa as pessoas simples. O maior número de perguntas cabe à área social, assinala o analista da Escola Superior de Economia, Leonid Polyakov.

"Tomando em conta a experiência das edições anteriores, é compreensível que as pessoas estejam interessadas, em primeiro lugar, em temas mais próximos da vida quotidiana. Problemas da saúde pública, educação, assistência social, preços. Incontestavelmente, num dos primeiros lugares estarão os problemas habitacionais e de serviços básicos à população. A comunicação do presidente com pessoas simples é muito importante para perceber a atmosfera e entender o estado de espírito no país."

O recorde de número de chamadas recebidas pelas centrais telefônicas especiais foi estabelecido em 2007. Na altura, 2 milhões 360 mil pessoas telefonaram a Putin. Nestes programas participam não só cidadãos da Rússia, mas também de países estrangeiros, inclusive da antiga URSS. O Kremlin nunca define os temas a serem tratados, dando liberdade aos próprios participantes. Os analistas acreditam que este ano estarão em destaque as perguntas relacionadas com o combate à corrupção e às relações entre o poder e a oposição.

Habitualmente, uma vez terminada a sessão de perguntas e respostas, o presidente assina vários decretos ou encarrega altos funcionários do governo de tarefas concretas com vista a retificar erros ou implementar ideias expostas pelos cidadãos.

O presidente da Rússia é o único líder do G8 que utiliza tal formato de comunicação com a população de seu país.

  •  
    E recomendar em